DOI: http://dx.doi.org/10.25188/FLT-GaleriaTeologica(eISSN2595-1971)v1.n1.2017.p1-44

RESUMO

A presente pesquisa aborda a relação entre a edificação de comunidades e o culto comunitário e procura encontrar impulsos concretos para que o culto contribua com a edificação. Para tal propósito, apresenta-se previamente uma abordagem bíblico-teológica acerca da edificação de comunidades e do culto comunitário e enfatiza-se a importância do planejamento. Na busca de critério para auxiliar no planejamento do culto, analisam-se escritos de Lutero sobre o culto. Dentre os critérios encontrados, destacam-se o princípio da liberdade e do amor ao próximo, a centralidade nas Sagradas Escrituras, multiformidade litúrgica e a ênfase na evangelização e comunhão. Em seguida, duas propostas contemporâneas de culto são abordadas: Klaus Douglass e a igreja emergente. Klaus Douglass defende a multiformidade litúrgica e a celebração de cultos direcionados para pessoas distanciadas e frustradas com a igreja. A igreja emergente, por sua vez, apresenta uma proposta de culto pós-moderna voltada para pessoas que não conhecem os princípios judaico-cristãos. A partir de Lutero e as propostas contemporâneas, constata-se a necessidade de a igreja estar atenta para o contexto no qual ela está inserida e a importância das novas formas de culto que oferecem celebrações atrativas e relevantes para os membros da igreja e pessoas afastadas dela. Em uma sociedade plural, a qual inclui a mentalidade tradicional, moderna e pós-moderna, a igreja necessita encontrar novas formas de anunciar o evangelho em uma linguagem compreensível para todas as pessoas.


PALAVRAS-CHAVE

Edificação de Comunidades. Culto Comunitário. Lutero. Novas formas de culto. Klaus Douglass. Igreja Emergente.

JONATHAN KLEBBER


Graduado em Teologia pela Faculdade Luterana de Teologia – FLT. É pastor na Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil – IECLB. Casado com Cathy. E-mail: jonathan.klebber@flt.edu.br.